Pequi tocantinense

Refogado no óleo e sal em um fogão à lenha. É assim que o sertanejo prepara este fruto típico do Cerrado. O perfume característico rapidamente toma conta do ambiente. Um pouco de água, alguns minutos de cozimento e está pronto para o consumo.

Quem conhece sabe: é preciso ter cuidado para não morder a semente, que carrega espinhos, mas isso não assusta os fãs que amam roer sua polpa amarela.

Assim como o cheiro acentuado, o sabor não deixar margem para confusões: levemente adocicado, com um toque amargo, o pequi é daqueles alimentos que as pessoas amam ou odeiam. Para quem ama, são várias as possibilidades: refogado puro, com arroz, com frango, na galinhada, no arroz serigado, com pirão de carne. Também é possível conservas, óleos e licores.

Há, para quem ainda tem alguma dúvida, o pequi é nosso!