Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins

O Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins (MNAFTO) completou 15 anos de existência em 2015 e é uma unidade de conservação ambiental do estado que foi criada pela lei 1.179 de outubro de 2000. Localizado no distrito de Bielândia, a 50 km de Filadélfia, região norte do Tocantins, o local abriga a mais completa floresta fossilizada do mundo.

O monumento abriga a mais completa floresta fossilizada do mundo. Esta floresta viveu no Período Permiano da Era Paleozóica, entre 250 e 295 milhões de anos, sendo, assim, anteriores aos dinossauros. Chamados de “paus de pedra” pelos moradores da região, os fósseis são caules de árvores que foram se decompondo e, com o tempo, foram preenchidos com minerais e assim se tornaram pedras.

No final deste período, nosso planeta assistiu à maior extinção em massa da fauna e flora jamais ocorrida, em que aproximadamente 90% das espécies marinhas e talvez 70% das terrestres desapareceram. O acervo natural ocupa uma área de 32 mil hectares do cerrado tocantinense. Entre os principais fósseis encontrados no monumento destacam-se as samambaias arborescentes.

O local é protegido e gerenciado pelo Instituto Natureza do Tocantins – Naturatins e sua sede conta com garagem, alojamentos e auditório, que oferecem uma melhor qualidade no atendimento e logística para os pesquisadores e visitantes. O monumento é procurado por geólogos, historiadores e pesquisadores.

 Os interessados em conhecer o local devem agendar a visita pelo telefone (63) 3391-1034, ou na Coordenadoria de Unidade de Conservação do órgão em Palmas, no número (63) 3218-1034.